Título Editada

E quando a ansiedade surge “do nada”? Saiba por que isso acontece e o que você deve fazer

É sábado à noite e você está em casa, sentado(a) no sofá, assistindo um desenho animado com seu filho.

Uma situação tranquila. Nada de ameaças ou perigos.

Porém, sem motivo aparente, você começa a sentir palpitações, suas mãos começam a suar e ficam trêmulas, sua visão fica embaçada. Típicas sensações físicas provocadas pela ansiedade.

Você então começa a se perguntar o que há de errado, já que não existem razões para o que está ocorrendo.

Porém, existem sim.

Os sintomas de ansiedade podem ser produzidos de diferentes formas, não apenas em virtude de situações que envolvem perigo aparente.

Neste artigo, trago quatro explicações para esta ansiedade que parece ter vida própria e surgir “do nada”, como uma visita inesperada de final de semana.

No caso da visita, digamos que ela chegue para jantar e você não esteja preparado (a), é possível que você telefone para uma tele-entrega, vá ao supermercado ou simplesmente a convide para jantar fora. E no caso da ansiedade? O que você faz?

Antes de iniciar as explicações, faço uma ressalva: para que se possa pensar na hipótese de se tratar de sintomas de ansiedade, é preciso que causas físicas tenham sido descartadas inicialmente. Portanto, a realização de exames médicos é fundamental!

Caso não exista nenhum problema físico, consideraremos a possibilidade de você estar com sintomas de ansiedade.

Então, vamos às quatro explicações!

Explicação 1

# Explicação 1: Você está passando por uma fase de estresse em sua vida.

Aqui, estou me referindo a qualquer situação que para você esteja causando estresse.

Independentemente de as outras pessoas lhe dizerem: “Ah, mas isso não é nada, não dê bola, vai passar!”, aquilo está ultrapassando a sua capacidade de enfrentamento, portanto, está lhe causando estresse.

Ou seja, a situação pode ser desde um acúmulo de trabalho que esteja tirando seu sono, até o seu pé machucado que o esteja impedindo de realizar seus exercícios físicos prediletos.

A questão é que quando você está enfrentando um momento de estresse, seu corpo produz maior quantidade de algumas substâncias químicas, como por exemplo, a adrenalina.

Pois bem… Assim como uma visita inconveniente que não se flagra sobre a hora de ir embora, estas substâncias levam algum tempo para serem destruídas no organismo.

Assim, mesmo que você não esteja mais exposto (a) diretamente à situação estressante, você ainda pode se sentir alerta e apreensivo (a), pois a adrenalina ainda está “vagando” pelo seu corpo, produzindo sintomas de ansiedade.

O que fazer?

Apenas espere!

Após um tempo, seu corpo vai se cansar deste estado de alerta e naturalmente ativará o sistema nervoso parassimpático, responsável por fazer com que o organismo volte ao seu estado natural, relaxando-o.

Portanto, não lute contra estas sensações, mas sim, entenda que elas diminuirão com o passar do tempo.

Explicação 2

# Explicação 2: Você desenvolveu o hábito de respirar rápido.

Se você é como a maioria das pessoas que, preocupadas com suas responsabilidades ligadas ao conforto e à sobrevivência, se obriga a estar alerta durante boa parte do dia, é possível que você tenha aprendido a respirar rápido.

Sem perceber, você está ocasionando o que se chama de hiperventilação: um ritmo respiratório acelerado e superficial que produz variações na quantidade de oxigênio em certas partes do corpo.

Esta forma de respirar pode ser ocasionada por fatores não tão conscientes, como pensamentos, emoções, estresse e cansaço.

Você pode estar se perguntando: mas como eu nunca percebi que faço isso?

A hiperventilação não é fácil de ser percebida pela pessoa que a realiza, pois é muito sutil. Não é algo que se identifica a quilômetros de distância. Muitas vezes, apenas com muito treino é possível perceber.

Porém, a variação nas taxas de oxigênio ocasionada por ela pode produzir uma variedade de sintomas tais como:

  • tonteira;
  • sensação de vazio na cabeça;
  • falta de ar;
  • aumento dos batimentos cardíacos;
  • mãos frias e suadas;
  • dormências e formigamentos nas extremidades.

E veja só: estes sintomas são similares aos sentidos por uma pessoa que está diante de uma situação de perigo!

O que fazer?

 Existem dois pontos importantes aqui:

1) Fique tranquilo, pois a hiperventilação em si não oferece risco.

Ela apenas faz parte de uma reação de luta e fuga e sua função é de proteger seu corpo de qualquer perigo.

2) Comece a mudar seus hábitos respiratórios. Como?

Sugiro que experimente a seguinte técnica:

  • Respire de forma tranquila, inspirando pelo nariz e contando até três; prenda um pouco a respiração e solte o ar de forma longa e suave pela boca, contando até seis;
  • Ao inspirar, faça o ar chegar até o abdômen, estufando-o como se estivesse enchendo um balão. Ao expirar, encolha o abdômen como se esvaziasse o balão;
  • Repita todo o ciclo durante dois a três minutos e observe as mudanças em seu corpo.

Quanto mais você praticar, mais benefícios sentirá!

Explicação 3

# Explicação 3: Você está mais sensível aos sintomas de ansiedade.

Aqui, a questão é a seguinte: digamos que um dia você tenha subido no alto de um prédio e manifestado sintomas como taquicardia, tremores, sudorese e falta de ar.

Até aí, tudo certo. Porém, ao invés de reagir naturalmente e esperar os sintomas diminuírem, você se assustou e os sintomas se intensificaram.

É possível que neste momento tenha ocorrido o que se chama de condicionamento interoceptivo: sintomas físicos que até então eram naturais para você ficaram associados àquela ansiedade elevada e se tornaram sinais de ameaça para você.

Com isso, você se torna (involuntariamente) cada vez mais atento a estes sintomas físicos.

Cada vez que eles voltam a aparecer, é como se soasse uma sirene dentro de você, acompanhada de uma luz piscante e um som bem alto de alguém gritando: p-e-r-i-g-o!

Porém, a grande questão é que estes sintomas podem surgir em seu dia a dia diante de atividades rotineiras, como correr, caminhar mais rápido ou fazer movimentos bruscos.

Pronto! Cenário preparado para que simples alterações no organismo se transformem em sinais de alerta e disparem sintomas de ansiedade.

Percebe como sua mente transformou algo inofensivo em algo perigoso?

O que fazer?

Quando seu corpo começar a manifestar sintomas que o façam acionar alertas de perigo, pare e apenas observe.

Você não precisa saber por que os sintomas começaram.

Você apenas precisa se conscientizar de que eles são reações naturais de seu organismo e não causam nenhum dano.

Ao compreender que estas sensações físicas não são perigosas, o medo tende a desaparecer e os incômodos ataques de ansiedade aguda não farão mais parte de sua rotina.

Explicação 4

# Explicação 4: Seu corpo está passando por mudanças naturais.

Aqui, entra um último ponto. Simples. Porém, nem sempre fácil de aceitar.

Parece que vivemos em uma era em que tudo deve estar sempre perfeito, funcionando da melhor forma e, se não for assim, deve haver algo errado.

Calma! Seu corpo está longe de ser um objeto que se mantém intacto diante de influências internas e externas.

Assim, existem momentos em que você pode experimentar mudanças naturais em seu corpo, como aquelas causadas por variações hormonais ou por algum tipo de alimentação.

Um exemplo disso ocorre quando você ingere café, alguns tipos de chás ou refrigerantes à base de cola, que por conterem cafeína, podem acelerar os batimentos cardíacos.

O que fazer?

Aceite estas manifestações corporais como um processo natural. Desista de ficar constantemente se monitorando.

A partir do momento em que você começa a permitir que seu organismo manifeste estas sensações sem interpretá-las como sinal de perigo, elas naturalmente diminuem sua intensidade.

Resumindo

Resumindo…

Não é preciso existir um motivo explícito ou uma situação de perigo para ativar as sensações de ansiedade.

A boa notícia é que assim como ela surge “do nada”, ela também poderá ir embora “do nada” se você não transformá-la em catástrofe.

Então, se sua ansiedade começar a surgir sem que você encontre uma explicação, lembre-se de que pode estar ocorrendo uma das seguintes situações:

  • Você está passando por uma fase de estresse em sua vida;
  • Você desenvolveu o hábito de respirar rápido;
  • Você está mais sensível aos sintomas de ansiedade;
  • Seu corpo está passando por mudanças naturais.

Estas quatro explicações apresentam um ponto em comum que é sempre importante de ser ressaltado: quanto mais você compreender como a ansiedade funciona em seu organismo, mais poderá se libertar de sua tirania.

Natália Rigatti

Psicóloga (CRP 07/20324), apaixonada por esportes e alimentação saudável, praticante de corrida de rua e defensora da busca pelo bem-estar e qualidade de vida das pessoas. Em 2012 iniciou o trabalho na Clínica com psicoterapia individual, e em 2013 tornou-se Especialista em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental.

Este artigo tem 110 comentários

  1. Alisson Jázer

    Psicóloga Natália, dos diversos artigos que li sobre ansiedade, o seu foi o mais esclarecedor. Adorei! Já senti isso tudo na pele e todos os dias luto contra os sintomas, sem medicamentos. É sempre bom ler e buscar informação. Obrigado pelo texto!

    1. Natália Rigatti

      Alisson, fico bem feliz em poder esclarecer algumas questões. Muito obrigada pelo comentário! Um abraço!

      1. Thiago VInicius

        Obrigado pelas explicações, me ajudaram a aliviar um pouco as tensões e relaxar

        1. Natália Rigatti

          Bom dia, Thiago! Que bom, fico muito feliz em saber que o texto lhe ajudou… :) Muito obrigada por compartilhar isso! Um grande abraço!

    2. Aline

      Melhor coisa conseguir diariamente enfrentar esses sintomas chatinhos (que sempre tem algum motivo por trás) SEM REMÉDIOS!! :)

      1. Natália Rigatti

        Olá, Aline! Com certeza, aprender a lidar com os sintomas proporciona uma melhora muito mais duradoura. É claro que em alguns casos, é preciso fazer uso de medicação, mas em muitos não é necessário. Muito obrigada pela sua contribuição!

    3. Erika

      Verdade. Um dos melhores textos que já li

      1. Natália Rigatti

        :) Que bom que gostou, Erika! Muito obrigada pelo seu comentário aqui no site. Um abraço!

  2. Elisama

    Realmente, eu tenho que concordar com o alisson, esse artigo é um dos melhores que li. Eu desconfio de 3 dessas opções. Talvez seja a de respirar errado ou tbm pq eu fico assustada quando sinto as sensações, elas parecem ser tão reais que eu acho que tem algo errado no meu corpo. As sensações me assustam…é real pra mim e ainda que uma parte de mim acredite que é por causa da ansiedade que sinto essas coisas, sempre fica aquela dúvida, aquele, mas e se for? Como uma sombra.
    Dra. Eu sinto uma certa ansiedade/agitação quando eu fico empolgada com algo. Como posso controlar isso?
    E ás vezes percebo que meus pensamentos estão num ritmo frenético, mão consigo evitar…como posso ludar com isso?
    Muito obrigada! Seu site etá me ajudando mto

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Elis! Em primeiro lugar, muito obrigada pela contribuição aqui no site! Em segundo lugar, respondendo aos seus questionamentos, quando você fica “empolgada” com algo, é natural que se sinta um pouco mais agitada. Isso se tornará um problema apenas se esta agitação se tornar muito intensa, a ponto de lhe trazer prejuízos ao dia a dia. Porém, de qualquer forma, para avaliar esta questão de forma adequada, assim como o que você relata sobre seus pesamentos, sugiro uma avaliação profissional, visto que existe uma infinidade de fatores que podem interferir na forma como está se sentindo. Você já buscou algum profissional especializado (Psicólogo ou Psiquiatra) para investigar estas questões? Fico muito feliz que o site esteja lhe ajudando! :) Um grande abraço!

  3. Rafael

    Bom dia Doutora! Parabéns pelo artigo, um dos melhores que já li, bem objetivo e esclarecedor. Já tive vários sintomas descritos pela maioria, e sempre fiz exames e graças a Deus nunca deu nada. Quando eu aprendo a lidar com um sintoma e esquecê-lo, a mente começa a desencadear outro (s), querendo sempre colocar uma dúvida ou preocupação de perigo. Faço tratamento, e estou sempre em busca para enfrentar estas crises de ansiedade.
    Muito obrigado e parabéns pelo trabalho!

    1. Natália Rigatti

      Olá, Rafael! Fico muito feliz em poder ajudar, e te agradeço pelo retorno tão positivo! Que bom que estás fazendo tratamento, este realmente é o caminho mais eficaz para lidar com a ansiedade. As mudanças acontecem de forma gradual, o importante é reconhecer cada pequena conquista! Muito obrigada pelo carinho! Um abraço!

      1. Rafael

        Obrigado pelo retorno!!! Um abraço!!!

        1. Natália Rigatti

          Imagina! Qualquer dúvida, estou à disposição! Um abraço!

  4. Leandro leal

    Tenho sentindo muita ansiedade depois de uma infecção estomacal que demorou um pouco a curar…. Eu ficava pensando assim Tenho que ficar bom, tenho que ficar bom……………. E a medica diagnosticou crise de ansiedade com isso veio as tonturas e tremedeiras obrigado pelos esclarecimentos

    1. Natália Rigatti

      Olá, Leandro! Muito obrigada pela contribuição, fico feliz em poder esclarecer estas questões! Estás fazendo algum tipo de tratamento?

  5. Paulo

    Parabéns Dra! Sofro uma ansiedade que não sabia explicar a origem até ler sua explicação. E olha que já examinei um sem número de publicações a respeito!
    Os primeiros episódios me levavam sempre a um pronto socorro até eu descobrir que se tratava de ansiedade.
    Mas ainda assim os sintomas aparecem “sem causa” e me deixam muito confuso.
    Mais cruel para mim hoje é enfrentar uma insônia horrivel que já dura três anos e meio. Gostaria de lhe perguntar por que os sintomas persistem mesmo seguindo as orientações no combate a ansiedade.
    Mais uma vez parabéns por sua publicação, muito esclarecedor.

    1. Natália Rigatti

      Boa tarde, Paulo! Que bom poder auxiliá-lo a compreender melhor a sua ansiedade! Então, a melhora dos sintomas acontece de forma gradual, a partir de pequenas mudanças realizadas todos os dias. Além de tratamentos com profissionais especializados, algumas mudanças no estilo de vida são necessárias para auxiliar na melhora, como o hábito de alimentar-se de forma saudável e a prática de exercícios físicos, por exemplo. Tu estás realizando algum tipo de tratamento para a insônia? Muito obrigada pelo carinho e pela contribuição!

  6. Raimunda lucia

    Realmente Drª Natália esse foi uma das melhores explicações quê já ouvi sobre essa infelicidade chamada ansiedade. Sofro há 2 anos uso medicamentos e não consigo me livrar desse mal.gostaria de saber de algumas técnicas para me livrar dosremedios.uso bromazepa 3mlg.me ajude.obrigada

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Raimunda! Muito obrigada por expor sua dúvida! A retirada da medicação é um processo muito individualizado, pois depende de diversos fatores de ordem biológica, emocional, contextual, entre outros. Portanto, isso precisa ser avaliado com muito cuidado por um profissional especializado, que poderá fornecer as orientações específicas ao seu caso. Você já realizou psicoterapia? Um grande abraço e fico feliz por ter gostado do texto! Obs.: Se ainda não tiver lido, sugiro que leia os outros artigos, eles também poderão ajudá-la! :)

  7. joao paulo gomez

    Rpz que esclarecimento perfeito
    Me sentir curado
    Parabéns Dra

    1. Natália Rigatti

      Olá, João Paulo! Nossa, que coisa boa poder ajudar assim… Agradeço imensamente pelo seu comentário. Um abraço!

  8. Juliana

    Texto muito bom. Só quem passa por isso sabe como é. Parabens!

    1. Natália Rigatti

      Obrigada, Juliana! Que bom que gostou… Te agradeço pelo comentário! :) Um grande abraço!

  9. Davila

    Boa tarde Natalia.. Amei o seu texto!
    Estou fazendo acompanhamento psicológico ja tem um mês e meio e sinto melhoras.. Para auxiliar na terapia , estou fazendo acupuntura , onde me sinto bem melhor , o que vc acha desse tratamento? Sim.. Alguns sintomas insistem em aparecer ainda , o melhor é que estou aprendendo a lidar com esses sintomas , sinto que quando acostumo com um sintoma , um novo aparece , é normal?

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Morgana! Que bom saber que gostou do texto! Acho excelente o fato de procurar terapias alternativas juntamente com o acompanhamento psicológico, pois a ansiedade é multifatorial e quanto mais abrangente for o tratamento, melhor. Lembrando que o processo de melhora inclui também cuidados com a alimentação, a prática de exercícios físicos, higiene do sono, e tudo que possa contribuir para o seu bem-estar e qualidade de vida. Quanto aos sintomas, eles não irão desaparecer por completo, até porque a cada dia surgem novos acontecimentos na vida e alguns elevam um pouco mais a ansiedade. O importante não é evitar o surgimento de novos sintomas, mas estar aberta e pronta para lidar com aqueles que aparecem. Muito obrigada pela sua contribuição aqui no site, e se houver mais dúvidas, pergunte! :) Um abraço!

  10. Maria

    Ola.. Muito esclarecer seu texto.. Deu ate um alivio so de ler.. Rsrs
    pois bem.. Faço terapia com uma psicóloga e sinto que ja consigo controlar alguns sintomas , gostaria de saber se é possível curar a ansiedade 100% ou se sempre vou ta sentindo alguns desses sintomas?
    Beijos Natalia!

    1. Natália Rigatti

      Olá, Maria! Ótimo, a psicoterapia é um dos tratamentos indicados para obter resultados mais duradouros no manejo dos sintomas. Não falamos em “cura”, pois a ansiedade é um sentimento que todos possuem e inclusive é muito importante para a nossa proteção. No tratamento, você aprende a lidar com os sintomas de forma mais saudável, reduzindo os prejuízos que a ansiedade (em níveis elevados) pode lhe trazer. O melhor caminho é aceitar que a ansiedade continuará fazendo parte da sua vida, mas você não precisará ficar fugindo dela ou tratando-a como uma inimiga. Muito obrigada pela sua contribuição! Beijos!

  11. Andreza

    Boa tarde Dra. Adorei o site, parabéns!
    Faço terapia vai fazer dois meses , corro o risco de ter novas crises de ansiedade? Sinto sintomas diariamente, mas consigo conter. Agradeço se puder me responder. Beijos, fica com Deus!

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Andreza! Que bom que gostou, muito obrigada! A ansiedade pode se apresentar de várias formas e em intensidades muito diferentes para cada pessoa. Apenas o profissional que está avaliando e atendendo o caso consegue ter uma visão mais clara sobre isso. Além disso, a psicoterapia é um processo que demanda tempo e dedicação. Os dois meses iniciais costumam ser o período em que a sua situação está sendo avaliada pelo profissional, portanto, o tratamento ainda está bem no começo. Ainda há bastante caminho a percorrer. Em relação às crises, não temos como prever o surgimento de novos episódios, mas quanto mais você aprender a aceitar e manejar os sintomas, obtendo um conhecimento aprofundado sobre o funcionamento da ansiedade em seu corpo e mente, maior a chance de prevenir o surgimento de novas crises. Você está no caminho certo! Continue com a sua terapia e busque praticar exercícios físicos e cuidar da sua alimentação e do seu sono, pois o uso de estratégias para a melhoria da sua qualidade de vida ajuda (muito!) a lidar com a ansiedade de forma saudável. Muito obrigada por expor sua dúvida, ela poderá auxiliar muitas outras pessoas! Um beijo!

  12. Monique

    Dra. Boa noite!
    Adorei ler as suas palavras , muito esclarecedoras.
    Mas me tira uma dúvida: estou fazendo terapia pouco mais de um mes. passei algumas semanas bem , bem mesmo , estava super feliz pq achava que ja estava curada, kkkkk , mas a uma semana os sintomas voltaram e aos poucos e estou aprendendo a lidar com eles , hoje o meu estômago voltou a doer novamente, o que eu faço?
    Ahh, e mais uma per fininha: vc acha q quem começa a terapia bem no início das crises de ansiedade , tem chances de se curar mais rapido? Esse ja agradeço sua resposta dra. Beijos , fica com Deus.

    1. Natália Rigatti

      Olá, Monique! A psicoterapia é um processo que apresenta resultados a médio e longo prazo, ou seja, o primeiro mês costuma ser ainda um período de avaliação da situação, para aos poucos iniciar o tratamento propriamente dito. Esta melhora inicial rápida pode ter ocorrido pelo fato de você se sentir segura por receber suporte profissional. Porém, para que obtenha resultados realmente consistentes e duradouros, é preciso bastante dedicação e assiduidade aos atendimentos. Em relação à sua outra pergunta, começar a terapia no início dos primeiros sintomas é um fator que contribui (bastante!) para que a situação melhore com mais brevidade. Quando alguém demora para buscar auxílio profissional, tende a desenvolver muitas estratégias de evitação, o que contribui para a intensificação dos medos e dificulta um pouco mais o tratamento, que mesmo assim, pode apresentar excelentes resultados. Por fim, uma questão importante: não falamos em “curar” a ansiedade, mas sim, em aprender a lidar com os sintomas de forma saudável, podendo seguir a vida sem prejuízos no funcionamento diário. Portanto, é natural que você ainda sinta dor de estômago e outros sintomas. Aos poucos, na terapia, você aprenderá a lidar com isso. Muito obrigada por expor sua dúvida aqui no site e não hesite em perguntar novamente! Beijos!

  13. Jean Christhian

    Comigo aconteceu algo curioso, desde criança sou ansioso, e só foi piorando ao longo dos anos, especialmente há 5 anos atrás, que eu fiquei doente, ai eu perdi o controle, o que era só coração acelerado, “evoluiu” para falta de ar, calafrios, visão embaçada. E foi assim por 4 anos, porém ano passado, a minha ansiedade sumiu do dia pra noite, mas os problemas não, na real me sinto ainda mais estressado e triste, to cheios de pensamentos me destruindo por dentro, mas eu não entendo como ela sumiu, não foi um processo gradual, não fui no psicólogo , ou tomei remédios, o estresse não me deixou, não aconteceu nada de bom que justifica, literalmente eu dormi ansioso e no outro dia sumiu, é como se meu corpo tivesse se cansado de entrar nesse estado, hoje eu mal sinto meu coração bater, os outros sintomas também foram embora. Ainda assim me preocupa um pouco, eu fico pensando qual é pior, se importar demais ou não se importar.

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Jean! Obrigada por compartilhar esta experiência conosco, pois seu relato levanta uma questão muito importante de ser esclarecida. Muitas vezes, a ansiedade em níveis elevados (como me parece que era a sua), quando não tratada, pode evoluir para outros transtornos mentais, como a Depressão, por exemplo. Por isso, a impressão é de que a ansiedade desapareceu, mas na verdade, possivelmente tenha ocorrido uma mudança no seu estado de humor e, por consequência, nos sintomas apresentados. No seu caso, sugiro a busca por um profissional especializado (Psicólogo e/ou Psiquiatra), que poderá avaliar com muito cuidado o que está ocorrendo. Quanto antes fizer um tratamento (caso seja avaliada a necessidade), maior a chance de prevenir que algo mais grave se desenvolva. Qualquer dúvida, estou à disposição! Um grande abraço!

  14. Debora vieira

    Boa tarde dra.
    Mas é possível se livrar da ansiedade fazendo o q vc citou no texto acima? Ou é necessário fazer um acompanhamento psicológico?
    É verdade que a ansiedade e o medo se instalam mas depois vao embora?
    Eu estou com ansiedade , desenvolvi após um relacionamento abusivo, mas não tenho condições de fazer terapia. Adorei o que vc escreveu e vou usar essas dicas no meu dia a dia. Brigada!

    1. Natália Rigatti

      Olá, Debora! Ótima a sua pergunta! O texto tem como objetivo a psicoeducação, ou seja, informar sobre maneiras mais saudáveis de lidar com a ansiedade, o que não substitui o atendimento especializado. No acompanhamento psicológico, conseguimos avaliar as particularidades de cada caso para buscar o melhor tratamento para cada pessoa. Portanto, o texto pode ajudar bastante e pode servir como um complemento para um tratamento, mas não o substitui. Quanto à ansiedade e o medo se instalarem e depois irem embora, eu precisaria entender um pouco melhor o que você quis perguntar. O que posso afirmar é que quando você aprende a enfrentar seus medos, a ansiedade tende a baixar, tornando-se cada vez mais tolerável e fazendo com que você consiga realizar suas atividades diárias com menos sofrimento. Porém, a ansiedade e o medo não desaparecem por completo, visto que cumprem um importante papel na nossa proteção. A grande questão é aprender a lidar com eles! Espero ter esclarecido suas dúvidas… Um grande abraço!

  15. Paulo

    Dra . Este texto me ajudou…, porém lido com ansiedade que tiveram vários gatilhos , afinal tenho 65 anos e já passei por stresses de todo tipo…., tive a temida TAG e até alguns episodios de pânico, e varias idas ao pronto socorro achando que eu ia morrer.Fiz tratamento com remedio e psicologico e aprendi a lidar com a “onça”, é verdade que ás vezes ela me arranha mas não me pega kkkk,… agora meu gatilho parece ser um Zumbido severo nos ouvidos ( coisa antiga e de vez em quanto ele fica “rebelde” e alto a ponto de não ter como distrair do “maledeto”), então vivo procurando tratamento e criando expectativas de melhora que não se concretizam e em alguns casos pioram o quadro, e aí fico com raiva de ter procurado e fico “p “da vida comigo mesmo e a ansiedade vem , em especial á noite , quando o sono não vem logo (também com uma corneta desta no ouvido quem é que dorme facil ?) Gostaria de saber se a psicologia pode REALMENTE me ajudar , uma vez que se trata de sintoma fisico que alimenta a ansiedade e uma ansiedade que alimenta o sintoma. Se vc conhece tb alguma terapia alternativa que possa funcionar no meu caso fico grato se comentar aqui. Desde já agradeço por se importar. Deus te conceda aquilo que almejas….Abs

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Paulo! Fico muito grata por dividir conosco o que está acontecendo! Claro, a Psicologia pode ajudá-lo sim. A Psicoterapia Cognitivo-Comportamental é uma linha muito indicada para tratamento de Transtornos de Ansiedade. Você chegou a realizar um tratamento completo, até o final, fazendo inclusive a prevenção da recaída? Completar o ciclo do tratamento, tanto psicológico quanto medicamentoso, é de extrema importância para prevenir o retorno dos sintomas. Em relação a este zumbido nos ouvidos, é necessária uma avaliação detalhada e cuidadosa para se chegar a alguma hipótese sobre o tratamento mais indicado. Sugiro que você procure novamente um médico psiquiatra ou um psicólogo para fazer esta avaliação. Além disso, é de extrema importância que você possa praticar exercícios físicos com regularidade e cuidar da alimentação, além de realizar a Higiene do Sono para que possa ter uma noite mais tranquila. Qualquer dúvida adicional, fique à vontade para perguntar! Um grande abraço!

  16. MAIARA MACEDO

    BOM DIA DR.
    PQ AS VEZES O MEDO CHEGA E PERMANECE SEM MOTIVO NENHUM APARENTE?
    COMIGO ACONTECE Q CHEGA DO NADA, PERMANECE DURANTE HORAS E DO NADA TAMBEM VAI EMBORA.. PQ ISSO ACONTECE?
    ESTOU FAZENDO TERAPIA A DOIS MESES E GRAÇAS A DEUS AOS POUCOS ESTOU CONSEGUINDO CONTROLAR.. QUANDO A SENSAÇÃO DE MEDO VEM, PROCURO FICAR O MAIS TRANQUILA POSSIVEL. DESDE JA AGRADEÇO SUA RESPOSTA.

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Maiara! Eu escrevi este texto justamente para esclarecer estas questões. Porém, estas são apenas algumas explicações, visto que cada caso deve ser avaliado individualmente. Que bom que você está fazendo terapia! Lembre-se de que a melhora acontece de forma gradual e o tratamento exige esforço e dedicação para que ofereça resultados consistentes. Um grande abraço!

  17. Maria nunes

    Bom dia Dra!
    Quais sinais o corpo dá que estamos saindo de um quadro de ansiedade?
    Estou fazendo terapia a dois meses, faço acupuntura e comecei a caminhar.. Desde já agradeço pela sua atenção.

    1. Natália Rigatti

      Boa tarde, Maria! Quando ocorre a melhora de um quadro de ansiedade, os sintomas fisiológicos vão diminuindo a frequência e a intensidade, ou seja, você já não sente seu corpo se manifestando diante de tantas situações. Além disso, quando estes sintomas começam a aparecer, você já consegue manejá-los com mais facilidade, evitando que a ansiedade atinja seu pico. Que bom que estás fazendo terapia e utilizando outros meios para melhorar sua qualidade de vida. Este é o caminho mais saudável para sentir-se bem. Muito obrigada pela sua pergunta. Um grande abraço!

  18. Mara

    Olá Doutora, Sinto ansiedade faz um bom tempo, só a em certas épocas apresento melhoras, estava fazendo psicoterapia a dois meses, mais perdi as vaga por falta, estou na espera para voltar, ultimamente quando estou ansiosa sinto coração acelerado, suor em excesso e as vezes o medo de não dar conta dos meus afazeres, uma certa impotência. Tento me livrar dos sintomas caminhando, desabafando meus sentimentos. Tomo alprazolan a noite me sinto mais calma. Será q preciso procurar outro especialista?

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Mara! Que bom que você fez esta pergunta, existem algumas questões bem importantes de serem esclarecidas! Em primeiro lugar, como você já tinha iniciado a psicoterapia, sugiro que retorne assim que surgir a vaga novamente, porém esteja atenta à frequência às sessões. O sucesso do tratamento psicoterápico depende da sua assiduidade às consultas e também da sua dedicação àquilo que for combinado com sua psicóloga. Lembrando que os resultados podem até começar a aparecer a curto prazo, mas a melhora duradoura advém de um tratamento feito a médio e longo prazo, com frequência regular às sessões. Em segundo lugar, se os sintomas estiverem muito intensos, trazendo prejuízos em sua vida, sugiro uma avaliação com um médico Psiquiatra (se você ainda não fez) para verificar se está correto o uso do Alprazolam e/ou a necessidade do uso de outra medicação. Espero ter ajudado. Obrigada pela sua contribuição aqui no site! Um grande abraço!

  19. Alcione

    Olá Natália
    Tenho sentido todos esses sintomas há anos, mas só há uma semana descobri quae se trata de ansiedade.
    Sinto palpitações, sudorese excessiva, falta de apetite, etc.
    Sinto que tem me atrapalhado muito até na aprendizagem.
    Vou Tentar pôr em prática tudo o que li aqui.
    Obrigada pelas orientações, espero que consiga melhorar minha qualidade de vida com elas.
    Grande abraço.

    1. Natália Rigatti

      Olá, Alcione! Que bom que está disposta a colocar estas orientações em prática! :) De qualquer forma, fique atenta à intensidade e à frequência destes sintomas, além de observar os prejuízos que causam em sua vida. Estas orientações não substituem qualquer forma de tratamento (psicológico e/ou psiquiátrico), portanto, caso os sintomas persistirem, busque ajuda profissional. É de extrema importância que seu quadro seja avaliado por um profissional especializado, para que possa saber qual o tratamento mais indicado e consiga melhoras mais consistentes e duradouras. Fiquei muito feliz com seu comentário, e qualquer dúvida estou à disposição. Um grande abraço!

  20. Patricia vieira

    Bom dia Dra. Parabéns pelo site e pela atenção para conosco! Você não tem ideia do quanto nos ajuda..
    Pois bem , faço terapia a três meses e graças a Deus não uso faço o uso de nenhuma medicação.. Procurei ajuda psicológica bem no início dos sintomas e desde então estou sendo acompanhada toda semana pela psicóloga e tenho feito de tudo um pouco para me livrar do excesso de ansiedade.. Ou seja , faço caminhada , tratamento com acupuntura.. tenho tido uma melhora imensa , porém , ainda sinto um apertozinho na garganta e a respiração rápida.. o que posso estar fazendo para que esses sintomas parem de acontecer?
    Desde ja agradeço muito a sua atenção. Bom dia!!

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Patricia! Nossa, muito obrigada, eu fico muito feliz em saber que estou ajudando aqui pelo site! O fato de você ter buscado a psicoterapia no início dos sintomas foi muito importante, pois tratá-los antes que se tornem crônicos facilita o processo de melhora. Além disso, a sua dedicação às orientações da sua terapeuta também faz toda a diferença. Lembre-se de que três meses é um tempo relativamente curto para um processo psicoterápico, ou seja, você ainda está no começo do tratamento. Então, é natural que ainda surjam sintomas de ansiedade. Uma sugestão que dou é que pratique a respiração que descrevi neste artigo, no item “explicação 2”, pelo menos duas vezes ao dia, todos os dias. Quando você torna esta respiração um hábito, pode obter benefícios importantes para a sua qualidade de vida. Muito obrigada pela sua contribuição aqui no site! Um grande abraço e bom dia!

  21. Priscila ferreira

    Boa tarde Dra. Que site maravilhoso!
    Incrível a sua atenção com todos que passam por aqui.. Parabéns!
    Dra. A Ansiedade se instalou em mim a uns três meses a trás e logo procurei ajuda de um profissional (psicólogo), desde então tenho enfrentado tudo com muito sucesso, os sintomas, os medos, enfim.. Faço caminhada, acupuntura tb e sou mulher de muita fé, Deus tem me fortalecido muito e a cada dia me sinto mais forte. Só que , essa semana irei viajar (primeira viajem enfrentando ansiedade) , irei com uma amiga , vamos pra relaxar , aproveitar um pouquinho a vida , ja que ela é tão curta.. Estou com um pouco de receio de ir, o q VC acha? Mas eu vou , quero muito ir , preciso desse momento… Obrigado pela sua atenção e ficarei muito grata se VC puder me ajudar. Beijos

    1. Natália Rigatti

      Boa tarde, Priscila! Em primeiro lugar, lhe peço desculpas pela demora em responder. Sempre cuido para dar retorno com brevidade, porém eu estava de férias, retornei apenas hoje ao trabalho. Em segundo lugar, muito obrigada pelo carinho, fico bem feliz que você tenha gostado do site! :) Em relação à sua pergunta, sei que agora já passou um tempo, mas vale para outras situações que poderão surgir daqui para a frente. Como você está em tratamento e já está realizando enfrentamentos, é bem importante que possa gradualmente ir se desafiando e encarando as mais diversas situações que lhe geram ansiedade. Assim, poderá retomar sua vida e aproveitar tudo o que ela oferece de bom! De qualquer forma, é de extrema importância que possa ver isso com a profissional que está realizando seu atendimento, pois ela conhece bem as particularidades do seu caso e poderá decidir, junto com você, qual o momento ideal para enfrentar os seus medos. Para finalizar, quero lhe dizer que foi muito importante você ter procurado ajuda logo que os sintomas iniciaram, pois isso facilita muito o processo de melhora. Ahh e fiquei curiosa… você foi viajar? Se puder, me conte como foi! Um beijo!

  22. Eduardo

    Boa tarde Doutora. Estou muito nervoso, primeiro pensei que era doente do coração, fiz eletro e deu normal, depois pensei que estava com alguma doença no pulmão e nada foi constatado, agora penso que estou doente de alguma doença no intestino ou no estômago, é isso não sai da minha cabeça. Isso é pânico ou ansiedade generalizada?

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Eduardo! Muito obrigada por expor sua dúvida. Quando surgem sintomas de ansiedade, é importante saber o que está acontecendo realmente, a fim de buscar o tratamento adequado ao seu caso. Para realizar uma avaliação diagnóstica, ou seja, saber se é um Transtorno do Pânico, Transtorno de Ansiedade Generalizada ou até mesmo outra condição, preciso realizar atendimento presencial. A avaliação é extremamente detalhada e é preciso observar múltiplos fatores para chegar a um diagnóstico, afinal, os sintomas que você descreve podem fazer parte de diversos transtornos mentais. Além disso, para saber se você está realmente com um Transtorno de Ansiedade, é preciso avaliar a frequência e intensidade dos sintomas, além dos prejuízos e sofrimento causado em seu dia a dia. Sugiro que busque um profissional especializado em saúde mental (psicólogo ou psiquiatra), para que assim, consiga saber realmente o que está ocorrendo e buscar a melhor alternativa de tratamento. Espero ter esclarecido sua dúvida… qualquer coisa, fique à vontade para perguntar. Um grande abraço!

  23. Otavio Alves

    Dr.Boa noite a 2 meses fiquei doente e c um grande medo de estar c febre amarela, fiz diversos exames tomografias,exames de sangue,urina,ultrassom mais não me sinto bem pode ser ansiedade ?

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Otavio! Muito obrigada pelo seu contato! Então, pelo que eu entendi você ficou realmente doente, isso? Porém, desenvolveu um medo de estar com febre amarela, o que não foi confirmado pelos exames. Certo? Bom, se for isso, temos que avaliar há quanto tempo exatamente este medo vem ocorrendo, se já existia antes de você ficar doente, se ele aparece com frequência e com intensidade elevada e se causa prejuízos e/ou sofrimento significativo em seu dia a dia. Além disso, é preciso avaliar todo o contexto, outros sintomas que podem ter aparecido, enfim, existem diversos fatores que devem ser estudados para sabermos se o que você sente é realmente ansiedade. Existe a possibilidade, por exemplo, de a sua ansiedade ser temporária, ou seja, uma reação desenvolvida quando você ficou doente, mas que com o tempo vai diminuindo até voltar ao seu nível normal. Porém, caso isso esteja lhe trazendo um desconforto muito grande, sugiro que busque um profissional da área (psicólogo ou psiquiatra) para realizar uma avaliação. Se for ansiedade e se ela estiver em um nível patológico, é muito importante que você realize o tratamento adequado, para prevenir que ela se agrave e manter sua qualidade de vida! Um grande abraço, e qualquer dúvida fico à disposição!

  24. Nidelci

    Me sinto tão confusa e cansada em relação a tudo que sinto…é horrível tentar ser forte, tentar entender os próprios sentimentos.
    Já acordo ansiosa, me sinto muito triste com tudo isso.

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Nidelci! Você faz algum tipo de acompanhamento profissional? Se não faz, sugiro que busque auxílio psicológico, tanto para prevenir que os sintomas se agravem, quanto para poder ter uma vida de mais qualidade. Muito obrigada pela sua contribuição aqui! Um grande abraço!

  25. Andressa Farias

    Eh muito dolorido sentir essas sensassoes todos os dias , eh como se o corpo lutasse incansavelmente para ser livre de angústias medos aflições mas parece ser infinita essa batalha ..
    O q Fasso pra controlar minha mente desses medos pensamentos de catástrofe q me apavoram?

    1. Natália Rigatti

      Olá, Andressa! Realmente, a ansiedade quando está em níveis elevados gera bastante desconforto… Há diversos artigos aqui no site que podem ajudar a responder a sua pergunta. Porém, aqui trago dicas gerais para lidar com a ansiedade, ou seja, não estou levando em conta as particularidades de cada caso. Isso só consigo fazer em um atendimento presencial. Se estes sintomas estão gerando sofrimento significativo em sua vida, sugiro buscar um profissional especializado (psicólogo ou psiquiatra) para realizar o tratamento adequado. Esta é a forma mais eficaz de obter melhoras duradouras. Muito obrigada pela sua pergunta… Um grande abraço!

  26. Sabrina diniz

    Dra. Bom dia!!
    Faço tratamento psicológico a 5 meses, e a cada dia tenho me sentido melhor e aprendendo a lidar com a ansiedade. Mas, o que vem me preocupando é que a três dias , venho sentindo dor de cabeça, dor essa que sempre sinto , só q de três dias pra cá ela tem se intensificado, tomo remédio e não passa.. Com ela vem a vertigem , sensação de estar tonta, um peso nos olhos , tensao no pescoço , enfim.. Isso tem me preocupado muito , não consigo trabalhar, nem desfocar o pensamento desses sintomas , pois sabe como é a mente de um ansioso né? Sempre pensa no pior.. Essas sensações não passam e ja tem três dias , o q pode ser? São sintomas da ansiedade? Corro pro google pra me tranquilizar , ja li q pode ser enxaqueca , como tambem algo mais grave.. Me ajuda por favor.. Estou muito aflita , angustiada e com medo. :(

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Sabrina! Isso tudo que você relatou são sintomas típicos de ansiedade. Muitas vezes a dor de cabeça se intensifica em virtude desta tensão gerada pelas preocupações. Porém, para trabalharmos com esta hipótese, precisamos primeiro descartar algo físico. Sugiro que procure um médico (de preferência Neurologista) para realizar uma avaliação, até porque esta dor está trazendo prejuízos ao seu dia a dia. Após fazer os exames, descartando a hipótese de algo físico, aí sim podemos pensar que a causa é a ansiedade. Um grande abraço, obrigada por enviar sua pergunta!

  27. Daiane

    Olá doutora!
    Estou me sentindo ansiosa o tempo todo e lendo o seu texto, identifiquei que é devido ao stress. É normal sentir ansiedade o tempo todo, sem intervalos? As vezes chego a tremer, estou com medo que tenha um surto, ou algo parecido. Demora quanto tempo para o corpo “cansar” de estar ansioso?

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Daiane! Quando a ansiedade surge com frequência muito elevada (como você relata, “o tempo todo”), gerando inclusive sintomas físicos (no seu caso os tremores), deve ser avaliada por um profissional especializado, seja um psicólogo ou um psiquiatra. Caso for constatada uma ansiedade patológica, ou seja, aquela ansiedade que ultrapassa os níveis considerados normais, é preciso fazer um tratamento adequado antes que os sintomas se agravem. Outro ponto importante: o corpo não “cansa” de estar ansioso. Pelo contrário, quando não tratados, os sintomas de ansiedade tendem a aumentar sua intensidade e frequência, trazendo cada vez mais prejuízos ao seu dia a dia. Portanto, sugiro que busque uma avaliação. Sentir-se assim todos os dias pode afetar muito a sua qualidade de vida. Um grande abraço e muito obrigada pela sua pergunta!

  28. Ana Carolina Wenceslau Müller

    Bom dia me chamo Ana Carolina li o texto e amei ❤️❤️❤️ Estou me sentindo melhor, não faço mais usos de medicamentos porque comecei a ficar depende do remédio, sem auxílio médico eu mesma consegui me livrar
    Estou muito feliz ❤️❤️ Obrigada

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Ana Carolina! Nossa, fico muito, mas muito feliz de saber disso! :) É extremamente gratificante para mim receber retornos assim como o seu! Agora é só manter as melhoras, desenvolvendo hábitos de vida saudáveis e pensando sempre na sua qualidade de vida. Um grande abraço e muito obrigada pelo seu comentário aqui no site!

  29. Daniele

    Boa tarde ! Melhor explicaçao qe ja li …infelizmente so fico bem na tomando Frontal qeria muito conseguir me controlar tem alguma dica ?

    1. Natália Rigatti

      Boa tarde, Daniele! Muito obrigada! Neste caso, sugiro fazer psicoterapia (caso ainda não esteja fazendo). A Psicoterapia Cognitivo-Comportamental tem apresentado resultados muito bons, você pode buscar algum psicólogo especializado nesta linha em sua cidade. A medicação é muito importante em algumas situações, mas é fundamental que você aprenda a lidar com os sintomas de ansiedade sem depender deste recurso. Um grande abraço!

  30. Jucivania

    Olá amei o seu texto me ajudou muito a entender melhor sobre ansiedade , sinto queimaçao nas costas, braços, dormênciase, dores nas costas já acordo nervosa sem motivos faço uso de paroxetina há 15 dias mas os sintomas ainda continuam ainda não consegui acompanhamento psicológico estou na filha de espera e então cada novo sintoma.me assusta , oq vc pode me falar pra me acalmar?

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Jucivania! Que bom que gostou do texto! :) Ótima a sua busca por atendimento psicológico, este é o caminho mais indicado para aprender a lidar com os sintomas. Primeiramente, preciso entender dois pontos: 1) Você fez um check-up de sua saúde (exames médicos)? 2) A Paroxetina foi receitada por um Médico Psiquiatra? Aguardo seu retorno… Um grande abraço!

  31. Camila

    Bom dia, Natália!!
    Gostei bastante dos seus esclarecimentos. Sofro de ansiedade há anos, mas as crises só aconteciam quando saía pra algum evento ou ambiente diferente. Sendo que, ano passado, com o término da graduação e toda a tensão da monografia comecei a ter crises aparentemente sem motivos todos os dias. Faz 8 meses que faço psicoterapia (psicanálise) e notei um avanço, porém, as vezes, ainda sinto os resquício que uma nova crise possa ser desencadeada. As crises consistiam em tensão muscular das mãos, pernas, face; dormência na face; vomitava demais e simplesmente não conseguia me alimentar. Em pouco mais de 2 meses já tinha perdido 8kg. Então, hoje em dia, meu medo consiste mais em que essas crises possam retornar. Mas, graças a Deus, sigo confiando em um aprendizado maior.

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Camila! O fato de você estar recebendo orientação profissional é ótimo, pois pelo seu relato pude perceber a intensidade das crises. A psicoterapia é um processo, portanto os resultados podem aparecer a curto, médio e até longo prazo. Assim, é natural que possa ainda existir algum tipo de medo de retorno das crises. Busque muitas informações sobre a ansiedade, leia sobre o funcionamento dela. Quanto mais você souber como ela atua em seu corpo e na sua mente, este medo tende a diminuir. E não se esqueça de buscar outras formas de melhorar sua qualidade de vida, como a prática regular de exercícios físicos e alimentação saudável. Muito obrigada pelo seu depoimento! Um grande abraço!

  32. Isabel

    Infelizmente não me encaixo em nenhuma das opções…

    Passei por um momento de estresse muito grande e depois desenvolvi transtorno de ansiedade. Tomo remédio todo o dia que de forma geral me estabiliza. Mas ainda tenho crises esporádicas que aparecem do nada, mesmo eu estando em uma boa fase da vida, sem fatores estressantes. É uma crise incapacitante que me traz um sentimento de impotência, acabo me rendendo a medicamentos mais fortes. Mas não consegui solucionar a raiz do problema ainda…

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Isabel! É, realmente estas são apenas algumas opções, mas a ansiedade é algo extremamente complexo, e cada caso precisa ser avaliado de forma particular. Os medicamentos são muito importantes no tratamento e, junto com eles, é imprescindível a realização de psicoterapia, pois neste processo você aprende a lidar com os sintomas de forma mais duradoura, prevenindo a ocorrência de novas crises. Se você ainda não buscou, sugiro que busque um profissional especializado para realizar um tratamento psicoterápico. Só assim você conseguirá tratar a raiz do problema, como você mencionou. Muito obrigada pelo seu comentário aqui no site! Um grande abraço!

  33. Xdenominal Camaru

    Boa tarde natália. Obrigado pelo seu post bem explicativo e bem fortalecedor, principalmente para quem está passando por esse transtorno. Realmente os pontos aqui tratados ajudam bastante. Vou seguir e ter em consideração os pontos ensinados por si. Obrigado, e continue com posts do gênero. Está e vai ajudar muita gente, tenho certeza disso.

    Forte Abraços!

    1. Natália Rigatti

      Olá!! Muito obrigada por este retorno tão gratificante! Pode ter certeza de que isso é o que me move a continuar desenvolvendo meu trabalho cada vez com mais carinho e dedicação! Fico muito feliz em saber que pude lhe ajudar de alguma forma. Um grande abraço!

  34. Tiago Rodrigues

    ola Natalia! Gostei muito da sua publicação, tem ajudado muito… Eu passei no final do ano passado por um processo de ansiedade a qualquer nunca tinha passado na minha vida, pois aconteceu assim eu trabalhava em dois trabalhos a noite fazia 12hrs como lider operacional, e durante o dia como socorrista de ambulância, resumindo fazia 24hs pra folgar 24hs…peguei uma folga de trabalho todo feliz e fui pra sp com a minha familia chegando la eu passei mal e fiquei com muito medo, meu coração começou a disparar e fui parar no pronto socorro chegando lá eu estava com a pressão altíssima coisa que eu nunca tive, e tomei remédio e vim embora depois desse episódio eu tinha palpitações e ficava com medo e parava no Ps, eu corria e caminhava e não conseguia mais praticar essas atividades pq dava as palpitações e ficava com medo fiz exames do coração várias baterias e não deu nada, só que as palpitações continuava fui numa psicologa pq tinha medo de ir psiquiatra rs.. Ela me ensinou como se comportar diante dessas situações, porem eu tenho medos ainda até hj de correr e o coração palpitar forte… Me ajuda o que fazer pra desencanar disso, pq as vezes sinto umas sensação esquisita no corpo tipo formigamento falta de entusiasmo as vezes pra baixo,tudo depois que aconteceu essas coisas comigo de ansiedade e síndrome de panico de coração palpitar ou ter um taquicardia!!!

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Tiago! Pois é, na verdade para perder estes medos que ainda ficam, como o de correr, você precisará se expor a eles de forma gradual. Se você ainda não leu, sugiro a leitura de outros artigos aqui do site, principalmente este: http://debemcomaansiedade.com.br/praticar-a-ansiedade/, em que explico como você faz para enfrentar os seus medos. Porém, por tudo o que você relatou, o ideal seria você buscar novamente um profissional especializado (psicólogo ou psiquiatra) para avaliar que tipo de tratamento ainda se faz necessário para que você possa se sentir melhor no dia a dia. A ansiedade é algo complexo, e precisa ser tratada para prevenir que aconteçam novas crises no futuro, e para que você possa ter uma vida com mais qualidade. Muito obrigada pelo seu depoimento! Caso ainda fique com dúvidas após ler os outros artigos, pergunte novamente, ok? Um grande abraço!

      1. tiago

        Boa noite, Nathalia! muito obrigado pela explicação, realmente preciso muito da ajuda desses profissional eu tenho muita força de vontade de sair dessas crises, pois as vezes me sinto pra baixo desmotivado coisa que eu nunca fui. eu sempre era pra frente alegre tipo as vezes vejo que nao teve motivos para acontecer isso estava vivendo uma vida tranquila com a minha família, gostava de fazer atividades físicas como corrida e agora fico com medo de correr por que eu tenho medo do coração palpitar como das outras vezes e sempre parar em um PS, e chegava com batimentos tipo 140 bpm…
        Esses dias fui em cabeleireiro cortar o cabelo e eu estava bom foi só pensar nas sensações que comecei a me sentir que ia passar mal, em um restaurante com a família eu comecei a comer e fiquei com medo de comer e passar mal, muito estranho essas sensações eu quero se livrar disso não tenho histórico de drogas nada, eu sempre fui de fazer atividades físicas, por favor me ajuda sair dessa sem remédios não é preconceitos de remédios e que eu nunca precisei tomar remédio para isso!
        Me ajuda! qualquer coisa me contata por e-mail e la te passo o meu contato e me da o caminho das pedras para eu sair disso!!!
        tiagobr2014@gmail.com

        1. Natália Rigatti

          Bom dia, Tiago! Pois é, o “caminho das pedras” no seu caso, já que está com receio de usar medicação, é buscar primeiramente um psicólogo. Ele poderá avaliar se você pode seguir apenas com a psicoterapia ou precisará fazer um tratamento combinado, ou seja, psicoterapia + medicação, encaminhando-o a um médico psiquiatra se for necessário. Além disso, o que você pode fazer é manter hábitos de vida saudáveis, cuidando da alimentação, expondo-se ao sol, buscando ter um sono de qualidade, praticando meditação e atividades de lazer e, acima de tudo, retomando aos poucos os exercícios físicos. Vá com calma, não se exija tanto. Comece com caminhadas e gradualmente volte às suas corridas. Muito obrigada novamente pelo seu comentário e pela confiança no meu trabalho. Um grande abraço!

  35. Kenia Pitante

    Olá Dr: Natália boa noite muito obrigada pelo texto maravilhoso muito bem esclarecido, de todos que li esse foi o melhor que mais me ajudou, hoje estou com Dois dia em que sinto acelaremento mãos soar falta de ar, e as vezes ate tremola, fui ao médico e nada de anormal exames normais…
    Foi onde fui pesquisar sobre ansiedade e me identifiquei em muitos sintomas, quando eu começo a sentir meus batimentos aumentar eu já fico preocupada, achando que é coisas ruins, como li dar com isso…
    Oque fazer quando esses sintomas surgirem?
    Como saber se precisarei de medicamento?
    Preciso de ajuda, desde já obrigada

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Kenia! Fico muito feliz em saber que o artigo a ajudou! Então, para saber se você precisa de medicamento, é necessário passar por uma avaliação com um médico psiquiatra. Ele é o profissional capacitado para isso, ou seja, aquele que poderá fazer uma investigação detalhada do que está acontecendo com você e indicar se precisa ou não do tratamento farmacológico. Alguns fatores podem ajudá-la a perceber se a sua ansiedade está entrando em um nível patológico (aquele que precisa de tratamento): 1) Sua ansiedade é desproporcional à ameaça real apresentada pela situação; 2) Os sintomas são tão intensos que você desenvolveu diversas estratégias para evitá-los; 3) Os sintomas aparecem com muita frequência, ou seja, sua ansiedade é ativada por uma ampla variedade de situações; 4) Você sofre muito em virtude de seus sintomas de ansiedade; 5) Sua ansiedade vem causando prejuízos em seu funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes de sua vida; 6) Você vem se sentindo assim há meses ou anos. Por fim, se ainda não leu, sugiro a leitura de outros artigos aqui do site, que poderão ajudá-la a entender melhor a sua ansiedade. Um grande abraço e muito obrigada por expor suas dúvidas!

  36. victor

    boa noite Dra. nunca tive nada relacionado a isso porem vinha fazendo uso de cafeina para treinar a uns 2 meses ,e a uma semana atras acabei tomando uma dose mais elevada que 500mlg de cafeina ,fiz meu treino e quando cheguei em casa ,tive um sensação de infarto ,porem fui ao pronto-socorro e meus batimentos estavam perfeitos ,desde entao nao tomei mais cafeina porem essa semana tive algumas crises nao tao intensa quanto a primeira ,porem isso me deixa apreensivo e ainda sinto algum sintomas … tem noites que nao durmo por medo ,e ficou uns 2 dias como se estivesse algo entalado em minha garganta … isso realmente passa? obrigado pela atenção

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Victor! Muito interessante a sua pergunta! É provável que estes sintomas passem sim, pois foram uma reação do seu corpo a esta dose elevada de cafeína. Porém, caso você não perceba melhoras dentro de uma semana, sugiro buscar uma avaliação psicológica ou psiquiátrica a fim de evitar que os sintomas se agravem. Como é algo bem recente, é importante procurar ajuda logo, pois isso aumenta muitos as chances de melhora. Por outro lado, se aos poucos os sintomas forem diminuindo, faça o que escrevi neste texto e espere. Sugiro que, se você se sentir à vontade, busque práticas de meditação (existem vídeos na internet que explicam como fazer). Isso pode melhorar muito a qualidade do seu sono. Qualquer dúvida, fico à disposição! Um grande abraço!

      1. victor

        obrigado ,isso me deixou um pouco mais tranquilo …hj eu estou bem ,porem na ultima noite tive uma “leve crise” na madrugada ,mas nada que se compare as sensações que tive na ultima semana,sinto uma grande melhora da ultima semana pra ca ,as vezes me pego apreensivo ,porem logo passa ,creio que seja só uma reaçao que logo esta passando o meu corpo ,mas é possivel desencadear uma TAG através da cafeina ,mesmo nunca tendo essa sensibilidade ?

        1. Natália Rigatti

          Olá, Victor! Que bom que as coisas estão melhorando! Em relação à sua pergunta, não temos como pensar em uma relação tão simples de causa e efeito entre a ingestão da cafeína e o surgimento de um transtorno de ansiedade. A causa destas reações emocionais é sempre multifatorial, ou seja, há uma pré-disposição genética que interage com fatores ambientais, cognitivos e comportamentais. Assim, uma possível hipótese para o que ocorreu é a seguinte: após você ter ingerido uma dose mais alta de cafeína, teve sintomas que naturalmente grande parte das pessoas teria nestas circunstâncias, mas sua mente os interpretou de uma forma mais catastrófica, o que acabou intensificando-os. Percebe a cadeia de reações? Enfim, o importante é que os sintomas estão ficando mais leves, isso é um ótimo sinal! Muito obrigada novamente pela sua pergunta! Um abraço!

  37. Michele Sandaniel

    Doutora, me sinto estranha, fico prestando atenção na minha respiração, sinto um vazios entro de mim como se estivesse vendo todos de dentro de mim como se eu fosse uma câmera, é estranho falar disso é como uma prisão dentro de mim onde respirar fica cansativo e difícil, eu fico com medo e meu coração acelera de mais parece que vem das minhas mãos fica trêmulas e geladas e sobe uma sensação estranha delas ou as vezes vem do meu estômago eu não era assim já tenho 30 anos e só agora a 5 meses desencadeou isso mas tudo começou da minha insistência em ficar medindo minha pressão e meus batimentos, eu me o todo tempo sem parar, tenho comido mais doces tenho perdido o ânimo e a vontade de sair de tomar banho de cuidar do corpo do cabelo fico pensando na minha respiração o tempo todo quase quando me esqueço dela tudo fica bom, mas é dar os flash começa a sensação estranha dentro de mim como se eu tivesse perdendo o controle eu não tenho auto estima eu não consigo perder peso então meu celular é cheio de fotos de mulheres com. O corpo que queria ter sou muito frustrada, olho várias pessoas bem e eu estou assim isso me desespera, sinto muita ansiedade eh acho que é isso ao comer ao falar então Eliot falar e acabo comendo muito rápido quero ser Mãe e não consigo e tenho medo de me desesperar na gravidez e acabar acontecendo algo pior comigo e o bebê não sei o que é isso acaba me frustrando eu não consigo mais falar com Deus acabo perdendo um pouco a fé nele por isso, eu não. Sei o que está acontecendo eu não era assim tudo mudou há 5 meses

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Michele! Como você está apresentando sintomas intensos, que lhe trazem muitos prejuízos ao dia a dia e estão acontecendo há 5 meses, é imprescindível buscar ajuda profissional (psicólogo ou psiquiatra). Este é o caminho indicado para que você possa melhorar. Não espere mais para fazer isso… com ajuda de um profissional especializado você poderá aos poucos retomar a sua qualidade de vida. :) Muito obrigada pelo seu depoimento! Um grande abraço!

  38. morgana Bezerra

    boa tarde Dra. Amando o seu site! Parabéns!
    bom, sinto dores de cabeça, tensão e rigidez no pescoço, ombros doloridos, enfim.. ja fui no neuro e ele disse que tenho cefaleia tensional.. em janeiro tive a minha primeira crise de ansiedade e logo procurei ajuda psicologica no qual faço acompanhamento até hoje, estou passando por momentos de estresse em casa, familia, trabalho, a 6 meses terminei meu relacionamento(abusivo) de 6 anos e aos poucos estou me desprendendo dessa relação.. o que eu posso estar fazendo para aliviar esse estresse e essas tensões?
    desde ja agradeço a sua atenção!

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Morgana! Muito obrigada! :) Que bom que você está fazendo tratamento psicológico. Este é o caminho indicado! Então, além disso, o que posso sugerir é que busque outras formas de aliviar estas tensões. No seu caso, existem 5 pontos fundamentais a serem seguidos: 1) Prática regular de exercícios físicos; 2) Técnicas de relaxamento (busque na internet por “Relaxamento muscular progressivo” – é uma técnica que ajuda muito a aliviar a tensão no corpo); 3) Práticas de meditação; 4) Cuidados com a alimentação, pois alguns alimentos também podem contribuir para este estado de estresse; 5) Mudança de hábitos respiratórios (como descrevi neste artigo). Com a prática diária destes 5 pontos, é possível que aos poucos você vá percebendo uma melhora significativa nestas tensões. Muito obrigada por compartilhar sua dúvida! Um grande abraço!

  39. Elias

    Olá Natalia … muito boa noitee, adorei seu site me ajudou muito!
    Entao dra. fui diagnosticado com ansiedade generalizada… e umas duas semanas antes do diagnostico comecei a fazer exercicios que eu nao fazia jamais, e nos exercicios eu respirava errado… puchava pela boca e soltava pelo nariz (ao contrario) depois de uns dias comecei a ter ansiedade do nada , e procurei um psiquiatra que me diagnósticou com ansiedade generalizada, minha duvida é? sera que estou mesmo com isso? ou so tive isso por respirar errado? antes disso eu estava com muito estresse e agr vou comecar a passar com psicologo… e tratar , tenho muitas duvidas?? espero que possa me ajudar! quero fazer o tratamento so que nao quero tomar antedepressiovos! pois tenho medo que tudo piore, posso fazer o tratamento psicológico sem remedios? e meu caso é muito critico? tenho medo de não conseguir acabar com isso! e oque eu tenho …vai durar pro resto da vida ou pode sumir do nada… igual do jeito que veio (do nada) obrigado deis de ja… e me deculpe por tantas perguntas… espero que me ajude … 😉

    1. Natália Rigatti

      Olá, Elias! Que bom que gostou do site! Então, o diagnóstico é feito com base em critérios, ou seja, se você apresenta um conjunto de sintomas, é possível que esteja com um transtorno de ansiedade (ou com uma tendência a desenvolvê-lo). No seu caso, faz pouco tempo que vem se sentindo assim (aproximadamente duas semanas, certo?), então talvez seja apenas uma reação do seu corpo aos exercícios, aliado ao período de estresse que você estava enfrentando. De qualquer forma, muito importante a sua decisão de buscar tratamento psicológico, pois assim poderá trabalhar na prevenção, para evitar que seus sintomas se agravem. Em relação aos tipos de tratamento, quem vai poder avaliar tudo isso melhor com você é o psicólogo que irá atendê-lo, ou seja, se ele considerar importante aliar o tratamento psicológico ao farmacológico, será imprescindível seguir os dois. Existem casos em que é indicada apenas a psicoterapia, porém há outros em que é preciso fazer um tratamento combinado. Espero ter conseguido responder suas perguntas… :) Um grande abraço!

      1. Elias

        Olá dra. muito obrigado pela sua atenção e pelas respostas! me ajudou muito
        Mais no momento, hoje não sinto mais os sintomas de ansiedade graças a Deus, só que no dia que conversei com o psiquiatra eu relatei que muitos anos atrás eu passei por um momento parecido com esse, e falei que depois de uns três meses tudo passou! e agr muitos anos depois tinha voltado tudo de novo e por isso dessa vez busquei ajuda de um profissional (na primeira vez não busquei ajuda) e então ele me disse que deve ser um trauma que tive quando criança ou na adolescência… e que vem … e vai do nada e que se eu não tratar pode voltar meses ou anos depois igual aconteceu! Minha duvida é… tem cura pra isso nunca mais voltar na minha vida? e a ansiedade que tive deve ter vindo por causa desse trauma? e agr ja foi em bora, e tenho medo de um dia voltar! se o psicologo conseguir indentificar oque foi… isso nunca mais voltaa a acontecer isso comigo? ou os sintomas de ansiedade e outros podem aparecer dinovo? na sua opinião qual o melhor profissional para resolver o meu problema? muito obrigado dra. Natália que Deus te abençoe sempre… fico muito feliz por existir pessoas assim igual a vs , que está sempre disposta a ajudar e aconselhar quem precisa! Obrigado de verdade.

        1. Natália Rigatti

          Bom dia, Elias! Então, pelo que você está me relatando, o profissional mais indicado para atendê-lo neste momento é um psicólogo (se ele avaliar que se faz necessária uma avaliação psiquiátrica, sugiro que faça também). O psicólogo fará uma investigação detalhada de sua história de vida e poderá lhe dar um retorno mais preciso sobre o que está acontecendo com você. De qualquer forma, o retorno ou não dos sintomas depende de uma infinidade de fatores, que incluem: o diagnóstico feito, a sua frequência e assiduidade às sessões de terapia, sua dedicação e entrega ao processo, além de fatores externos, como acontecimentos da vida diária. Muito obrigada pelas suas perguntas! Um grande abraço!

          1. Elias

            Boa noite dra. Natália… muito obrigadoo pelas respostas mais uma vez! e estou muito mais confiante agora com todas essas informações que a dra me trouxe! essa semana se Deus quiser começo a passar com um psicólogo, não vejo a hora de começar … mais não estou ansioso não kkkkk porque sei que tudo vai dar certo! Até mais então dra. fica com Deus vs e sua família.

          2. Natália Rigatti

            Bom dia, Elias. Fico muito feliz em poder ajudar! :) Que bom que você vai iniciar o tratamento… vai lhe fazer bem! Um grande abraço e obrigada novamente!

  40. Nanda cardoso

    Dra. Bom dia! Fico encantada com a sua atenção para conosco! Obrigada!!
    Me sinto melhor e aliviada sempre que entro no seu site.. Parabéns pela dedicação.
    Bom , ah seis meses desencadeei a tag, mas desde então tenho feito acompanhamento psicológico, e tenho me sentido bem melhor. Só que agora sinto dor em todo canto, rsrs não sei se é coisa da minha cabeça, antes não era assim. Ou seja, tudo agora me preocupa, já acho que to doente.. Enfim.. É normal se sentir assim? Ficar sentindo dores em todo lugar? Desde já te agradeço pela sua atenção. Fica com Deus.. Bjos

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Nanda! Nossa, muito obrigada por este retorno tão carinhoso! :) Você recebeu o diagnóstico de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), que é caracterizado acima de tudo por ansiedade e preocupações excessivas, associadas a outros sintomas, dentre eles a tensão muscular. Ou seja, o que pode ter acontecido é que por se preocupar de forma excessiva, você esteja muito tensa, sentindo dores pelo corpo. Além disso, é possível que cada dor sentida assuma uma proporção muito grande em virtude de pensamentos catastróficos que acompanham a ansiedade, então, diante de uma pequena dor, você já imagina que poderá ser algo mais grave. Isso pode fazer parte deste quadro de TAG sim! Porém, sempre devemos descartar a hipótese de haver doenças orgânicas. Então, sugiro que caso ainda não tenha feito, faça uma avaliação médica detalhada para descartar outras possibilidades. Espero ter ajudado… Um grande abraço!

  41. Iara Garrido

    Todo ano faço um checkup, desde a cabeça até a ponta do pé e para minha felicidade, tudo ok! Dentro da normalidade! Até hoje o único exame q não fiz foi a colonoscopia pq minha médica n acha necessário. Mas vira e mexe eu acho q tenho algo grave comigo. Qualquer dorzinha, motivo de atenção… às vezes sinto formigamento nas extremidades, às vezes é a veia q fica mais grossa, enfim, aí vou pesquisar no Google e piora tudo! Após identificado que sofro de TAG consigo ter mais consciência desses processos, porém o controle ainda é um desafio. Achei esse texto seu por acaso, confesso que o melhor de todos q já li! Parabéns

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Iara! Exatamente, o primeiro passo é saber o que está acontecendo com você e reconhecer que precisam ser feitas mudanças para melhorar sua qualidade de vida. Lembre que o processo de melhora é gradual, existem muitos desafios sim, mas é possível aprender a lidar com tudo isso de uma forma mais leve. Muito obrigada pela sua contribuição, fico muito feliz que tenha gostado do texto! Um grande abraço!

  42. Victor

    Boa tarde Doutora … hj já faz exatamente um mês que senti uma “Ansiedade extrema ” após uso exagerado de cafeína para treinar … depois fiquei uma semana bem ,porém já perdi 7 kg ,e agora estou tendo falta de ar ,formigamentos no braço,leve dor no peito as vezes ,na verdade sinto medo de ter um infarto ,porém ,sempre que vou ao hospital,meus batimentos estão ótimos,e só da uma alteração na minha pressão ,sera que desenvolvi uma Tag ,ou seria uma síndrome do pânico,?? Ainda não fui a um especialista ,porém os médicos que passei me deram os variados “achismos” como depressão… tag…. síndrome do pânico . … eu só quero ficar bem

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Victor! Obrigada pelo seu contato! Em virtude do tempo decorrido desde o início dos sintomas e dos prejuízos que você vem apresentando, sugiro que busque um especialista (psicólogo ou psiquiatra) para que possa saber exatamente o que está ocorrendo e iniciar o tratamento adequado. Este profissional, a partir de uma investigação detalhada, poderá definir se você desenvolveu algum transtorno mental e indicará o melhor caminho para você ficar bem. Se puder, busque logo, pois assim poderá evitar que os sintomas se agravem. Qualquer dúvida, estou à disposição. Um grande abraço, e fico na torcida para a sua melhora! :)

  43. Vanessa Brambatti

    Olá, Dra! Fui diagnosticada com TAG em 2009, porém com o passar dos anos e idas e vindas em psiquiatras para encontrar uma medicação eficaz, fui adquirindo pensamentos do tipo e se…, tendo medo, tremores, e náuseas, essa a pior dos sintomas o que me faz não conseguir comer o suficiente mesmo sentindo fome, então agora cada vez que vou me alimentar me lembro que posso acabar vomitando e me gera ansiedade, isso acaba me bloqueando e não comendo pouco. Como faço para eliminar esses pensamentos corrosivos.

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Vanessa! Muito obrigada pelo seu contato! O Transtorno de Ansiedade Generalizada é caracterizado justamente por estes pensamentos “e se”, que costumam surgir em virtude da dificuldade de lidar com as incertezas da vida diária. O caminho mais indicado para aprender a conviver com isso é a Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, realizada por um psicólogo especialista na área. Na psicoterapia, você aprenderá a manejar estes pensamentos de forma saudável, sem precisar eliminá-los. A medicação também é muito importante, mas lembre que é preciso aprender a lidar com as preocupações para que os resultados sejam duradouros. Um grande abraço!

  44. Gabriela

    Ola Dra… Obrigada pela atenção com os ansiosos!! … Minha primeira crise de ansiedade foi em 2015… Desde pequena sempre fui muito sensível, meu pai bebia muito e lembro que ele e minha mãe brigavam, era eu e mais 4 irmãos, mas eu era a única que quando meu pai bebia e eles brigavam ficava sem dormir com medo do meu pai fazer algo com minha mae, eu chegava a tremer de medo que algo acontecesse. Enfim eles se separaram e passei minha adolescência bem, porem agora na fase adulta após uma discussão com minha mae tive a crise e não sumiu mais, tenho crises todos os dias, já fiz exames físicos e graças a Deus tudo OK. Já fui a psiquiatra me passou ansiolítico mas os efeitos colaterais foram piores do que a própria crise, tenho medo de medicação, tenho controlado os sintomas sozinha, mas sinto que vem piorando e cada dia um sintoma diferente. Minha esperança esta na terapia. Depois que meu bebê nasceu fiquei ainda mais sensível, não consigo sair sozinha com ele, tenho medo de passar mal e alguém roubar ele, medo de morrer e ele ficar sem mãe, nossa isso me atormenta… Quero tanto voltar a ser normal, não ter esses medos , a ansiedade me fez ser outra pessoa.

    1. Natália Rigatti

      Olá, Gabriela! Imagina, eu que agradeço pelo seu contato! :) Sem dúvidas, no seu caso a psicoterapia é fundamental para que possa trabalhar sua ansiedade atual e também estas questões familiares mais antigas. Quando você começa a ver um sentido nas coisas que aconteceram e aprende a lidar com os sintomas da sua ansiedade, você consegue retomar sua qualidade de vida. Lembre que a terapia é um processo que exige entrega e dedicação, e os efeitos podem surgir tanto a curto, quanto a médio e longo prazo. Ou seja, algumas mudanças já podem ocorrer no início do processo, mas outras podem levar um tempo um pouco maior para acontecer, pois exigem um trabalho mais complexo. Ficarei aqui na torcida para a sua melhora! Um grande abraço!

  45. Thiani

    Muito bom!!! Me ajudou muito, sinto mais aliviada. Obrigada

    1. Natália Rigatti

      Olá, Thiani! Que bom saber disso! Muito obrigada por compartilhar seu alívio aqui conosco! Um grande abraço!

  46. Fernanda

    Olá dr Natália eu passei por um período muito difícil foi uma bomba atrás da outra aí me veio esse sintomas estranhos uma noite meu coração disparo de uma forma q no outro dia fui ao upa e o médico disse que era ansiedade nunca tive isso mas sempre fui muito ansiosa e preocupada agora lendo esse depoimento estou mais tranquila estou dormindo bem os sintomas desapareceu não sinto mais nada tenho msmo assim passar com um psicóloga

    1. Natália Rigatti

      Olá, Fernanda! A partir do seu relato, sugiro que verifique três questões importantes: 1) os sintomas desapareceram por completo ou estão muito fracos; 2) você está levando a vida normalmente, fazendo o que fazia antes (não está evitando situações por medo de ter uma nova crise de ansiedade); c) você não apresenta prejuízos importantes ou sofrimento intenso em virtude da ansiedade. Se as três respostas forem positivas, é possível que você tenha passado por uma crise de ansiedade isolada (ou um ataque de pânico). De qualquer forma, como você relata sempre ter sido muito ansiosa e preocupada, pode realizar um tratamento psicológico com o objetivo de melhorar a sua qualidade de vida e prevenir a ocorrência de novas crises. No tratamento, você aprenderá a lidar melhor com suas preocupações e poderá reduzir os sintomas de ansiedade presentes em seu dia a dia. Espero ter ajudado! Muito obrigada pelo seu contato! Um grande abraço!

  47. Helena

    Desde domingo retrasado comi lanche e senti um mal estar estomacal, achei primeiramente que fosse da alimentaçao, porém os sintomas persistiram a semana inteira, até que na madrugada de quarta/quinta não preguei o olho a noite inteira. No outro dia passei desesperada, uma sensação de angústia e tristeza, meu estômago doía muito, viver doía, mais uma noite veio e novamente não preguei o olho. Eu já estava exausta, chorei a noite inteira, achava que fosse morrer. Tomo rivotril quando estou em crise, pois não consigo me adaptar com nenhum medicamento ISRS, passo mal, as crises tornam-se agudas, não consigo me alimentar e quando me alimento vomito tudo. Não sei mais como viver assim.. será que essa crise vai passar sozinha? e se sim quando? Não aguento mais acordar com o coração agitado, como se algo muito ruim fosse acontecer, com aquela sensação que vou morrer. Hoje começo minha carteira de motorista acho que está me deixando pior, mas não posso deixar isso me vencer. Preciso ser forte. Dra Natália, aqui na minha cidade não tem ninguém que trabalhe com ansiedade. Gostaria muito de conversar com a senhora, marcar consulta nem que fosse online, eu preciso de ajuda, se a senhora puder. Obrigada!

    1. Natália Rigatti

      Bom dia, Helena! Realmente, pelo seu relato, percebo que a ansiedade vem causando sofrimento e muitos prejuízos à sua vida. É preciso buscar ajuda especializada mesmo, como você está fazendo. Infelizmente ainda não realizo atendimentos online, possivelmente irei iniciar no final deste ano. Por enquanto, sugiro que procure um Psicólogo na sua cidade, mesmo que não trabalhe especificamente com ansiedade. Busque algum que trabalhe com Terapia Cognitivo-Comportamental (mesma linha que eu atuo), pois esta linha de terapia atualmente é uma das mais indicadas para o tratamento da ansiedade. É possível que precise também consultar um Médico Psiquiatra para rever a questão da sua medicação e fazer novas tentativas. Espero ter ajudado… Qualquer dúvida, estou à disposição. Um grande abraço e muito obrigada por dividir seu depoimento conosco!

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *